PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

sábado, 23 de abril de 2016

Não somos antipetistas, somos marxistas!



Mano Brow acertou quando falou de manipulação midiática em relação ao impeachment da presidenta. Mas se equivocou sobre o fato de a favela ter se calado e virado as costas ao PT, já que,  antes disso, nossa presidenta (ruim de assessoria, viu?) ao invés de andar de buzão, ficava passeando de bike, tentando a todo custo conquistar a classe média... justo ela, eleita por mais da metade do povareu.

Muitas vezes nossos amigos e amigas, nossos parcos leitores e leitoras têm a certeza de que somos contra a Dilma, antipetista... Mas nós não somos.
Muito pelo contrário, parte da nossa formação política foi desenvolvida justamente nos diretórios regionais do partido e estamos bastante tristes com o golpe que está em curso contra a presidenta.
Acontece que somos marxistas e, como tal, compreendemos que a própria eleição do Partido dos Trabalhadores e Trabalhadoras já se tratava de um golpe da elite. Pode parecer estranho, mas a teoria marxista diz que não tem importância quem está no poder, se chegou lá, governará para o bem da burguesia, mesmo que conceda algumas benesses ao proletariado.
Lembram-se da ferrenha oposição que o PT fazia contra governo FHC e suas pretensões neoliberais? Pois bem. Impedidos de aplicar suas manobras (privatizações, precarização do trabalho, etc), a solução melhor foi anular a oposição colocando-a no poder.
E assim, tivemos no governo PT a brilhante conquista da redução do Seguro Desemprego, a aprovação da Lei Antiterrorismo, e tudo o mais que vocês possam listar.
As nossas eleições não são um processo democrático, como pensamos ou gostaríamos que fosse. Nossas eleições são “midiáticas”, não democráticas.
Permitir que o PT se elegesse fez parte do golpe reformista. Forçar sua saída é só a cartada final.
Alguém já disse... não me lembro quem... “o papel da esquerda é humanizar o capitalismo”.
Enquanto a revolução não vem, que assim seja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário