PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A P2 (serviço de “inteligencia!” da polícia) seus boatos irresponsáveis e o PCC

ESSAS SIM SÃO CRIANÇAS DESAPARECIDAS EM SP CAPITAL. MAIS 2000 POR ANO!!!



A P2 (serviço de “inteligencia!” da polícia) seus boatos irresponsáveis e o PCC

Não é particularidade do Parque Bristol que vez ou outra escuta-se um burburinho afirmando que crianças estão sendo roudadas na quebrada, pricipalmente próximo das escolas. Como sabemos esse tipo de burburinho já foi responsável por pelo menos uma vítima de linchamento público. Sabemos também que aqui no Parque Bristol tivemos um único caso de um menino de cinco anos, há cerca de 25 anos atrás. Tal notícia espalhou-se pelas imediações e ainda hoje é comentada em nas rodas de conversa. Sua mãe percorreu o bairro durante amuito tempo, colando cartazes à procura de alguam pista, mas até onde sabemos, seu filho nunca foi encontrado.
Os burburinhos, ou boatos, sempre sugerem que um dos motivos para os supostos roubos de crianças seria a extração de órgãos humanos para serem vendidos. Na era da internet tais boatos voão em altíssima velocidade e usam principalmente a plataforma do Zap Zap deixando-nos num pânico só. Então, na última onda de boatos, entendemos que deveríamos ir até os locais dos incidentes e investigar os fatos.
Porém já no primeiro local visitado (escola José do Patricínio) tivemos uma surpresa: conversando com a população do entorno e com funcionárias da escola, fomos informados de que, na verdade, uma criança havia sido roubada em outro bairro, numa escola chamada Álvaro de Souza Lima. Assim, partimos pra lá e, de novo, as informações colhidas apontavam que o crime teria acontecido não ali, mas sim na rua José Pereira Cruz, próximo à EMEF Hercília. Como, a essa altura já era de se esperar, lá também negaram o roubo de crianças e indicaram outra escola (Júlia Colaço França), onde, obviamente obtivemos o mesmo tipo de resposta.
Como se vê, os boatos seguem um determinado padrão: os supostos cirmes aconteceriam sempre nas imediações de uma escola, não se sabia nunca o nome das crianças “roubadas”, nem seus endereços, nome de familiares ou vizinhos da criança e, por fim, nunca havia detalhes sobre a indentidade dos “culpados”.
“Só” essas inconsistências já despertaram em nóis certa desconfiança dos boatos. Porém , o ponto primcipal que nos fez desacreditar de vez dessa conversa fiada foi quando os áudios do zap passaram a culpar o PCC por serem os responsáveis pelo sumiço das crianças e venda de órgãos. Gente, todo mundo sabe que o PCC vende drogas, não órgãos. Além disso, seus membros têm família e se preocupam com suas crianças como todos nós. Esse tipo de terrorismo, felizmente, não é característico desta facção.
Logo, quem quer que esteja começando esses boatos, ao tentar jogar a população contra PCC, só faz confirmar uma coisa: são boatos.
E a quem interessa difamar dessa maneira a um grupo que é diretamente responsável pela redução de 80% das mortes em SP Capital e, por isso, tem o apoio popular? À polícia.. às autoridades “oficiais”, à coxinharia de plantão, etc....
Conclusão: P2, tá faltando inteligência nessa parada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário