PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Maria Zé Povo


Eu também sou!




























Maria Zé Povo dos Santos

caminha no meio da rua.

Vai compenetrada na vida.



Ela pensa no gargalo

da garrafa da cerveja



preta – doce -



que tomava quando teve seu primeiro

filho. Morto nas mãos da polícia.



A cerveja - era lenda? -

enchia seu peito de leite. O leite

enchia seu peito de espera. Esperança

cavada nas covas do rosto do filho

que sorria. 

(Maria Zé Povo dos Santos

todo dia acorda aos prantos


recolhe a angústia em caixinhas

e a saudade em álbuns

de fotografia)





Maria Zé Povo dos Santos

caminha pela avenida.

Vai ao ponto de ônibus e na carga

dos seus ombros organiza-se o dia.

Vai sozinha entre tantas. Oprimida

entre o trabalho, o transporte e a retina

capaz de enxergar mentiras



a quilômetros. Maria Zé Povo dos Santos

constrói países e lidera 
famílias.


É por isso que ela anda

compenetrada na vida.







Nenhum comentário:

Postar um comentário