PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

domingo, 13 de abril de 2014

DIVIDIR, não ostentar...

Vocês sabem que nós sabemos que, na maior parte do tempo, estamos falando sozinhos. Juntando verbos e munições neste blog pra não perdermos o rumo, pra que mais tarde possamos recuperar o fio da meada, caso ele se perca por algum motivo.
Mas depois do último post, ficamos aqui pensando que talvez a palavra ostentar não seja estratégica para o que quisemos dizer, para as idéias que pretendemos compartilhar.
Pensamos que talvez nem mesmo os sonhos possam servir de objeto de ostentação - já que  ostentar pressupõe exibir vaidosamente aos outros o que estes não possuem. Assim sendo, logicamente, a exibição de sonhos pode causar inveja e ainda por cima mobilizar os e as sociopatas de plantão.
Assim, estamos substituindo "ostentar" por "dividir". A postagem anterior será editada e os dois verbos serão mantidos, apenas para registro.
Acontece que, nela, o contexto já conferia à palavra em questão o significado de "dividir"... mas isso é invenção de poeta e sociólogo que querem mudar o mundo e sabem que a mudança das palavras - quando não é apenas engodo pra manter a violência simbólica - é parte importante dessa transformação.
Mas reconhecemos que não fomos tão bem sucedidos a ponto de subvertermos o sentido exibicionista, competitivo e classista implícitos no sentido corrente do verbete.
Então, abandonamos agora mesmo nosso pretensionismo linguístico e social e voltamos atrás... queremos o verbo "dividir" em vez do "ostentar".
Simples e direto.
Dividiremos nossos sonhos.
Dividiremos nossas idéias.
Dividiremos nossas angústias.
Dividiremos nossas forças e nossos potenciais.
Não ficaremos ricos. Por isso não precisaremos dividir nosso dinheiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário