PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

terça-feira, 18 de março de 2014

Cláudia Ferreira, mais uma irmã que entra para as estatísticas

"Escrevo pra corromper as estatísticas"
Dinha


Querem nos fazer acreditar que existe uma guerra sendo travada entre policiais e bandidos nos morros e nas favelas do país. Essa guerra explicaria o alto índice de letalidade da PM.  Afinal, guerra é guerra...
Mas essa letalidade que se verifica nas suas atuações nas favelas não se manifesta quase nunca nos bairros nobres espalhados pelo brasilzão.
Nós acreditamos que existe sim uma guerra e foi ela quem matou Cláudia Ferreira - a mãe de família estupidamente assassinada por policiais  no Rio de Janeiro, ontem. Mas essa guerra não é contra bandidos, como querem que acreditemos, mas sim contra pobres.
Isso explica o fato de a polícia chegar atirando nos shows de rap e bailes funks, mas nunca nos shows de Sandy e Júnior, se é que eles ainda cantam.
Isso explica também a insanidade, que se verifica nos soldados, de se atirar em alguém na rua, sem nem mesmo lhe  perguntar o nome. Isso explica o caso do Pedreiro Amarildo e também os nossos mais de 5 parentes mortos pela polícia. Explica o descaso  e o sadismo no tratamento das vítimas e o filme de terror que entra em cartaz a cada vez que alguém tem o estômago necessário para gravar as cenas.
Cláudia, quem te matou foi a guerra. Quem te matou foi a elite.
O PM foi só o cachorro executando o trabalho sujo.
Oxalá nossa tristeza gere energia pra combater esse sistema porco que mata pais e mães de família, mata os sonhos dos meninos e das meninas, depois nos joga nas cadeias, nas favelas e, por fim, na terra fria das estatísticas.

Um comentário: