PORQUE NÓIS NUM TÁ AQUI PRA SER LEGAL

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Vibe da nite - MV Bill virou branco?

Muita gente tem se perguntado qual o problema do novo Clipe "Vibe da nite" do rapper carioca MV Bill. Eu não vou nem compartilhar aqui, que é pra não dar ibope... mas vou dizer, em minha opinião, qual é o problema.
Sem querer esgotar a discussão, pelo contrário, gostaria de ouvir mais sobre a opinião de outras pessoas, penso que MV Bill lança esse clipe em um momento chave do movimento Hip Hop. Num momento em que os discursos que sempre nos inspiraram, como as críticas à Rede Globo, por exemplo, perdem feio para as ações contrárias  a esse mesmo discurso: são os membros dos Racionais MC´s se abraçando publicamente ao Luciano Hulk, é o Emicida se somando ao funk pra reforçar o velho discurso machista - que é do Hip Hop, mas é antes de toda a sociedade. Gente que refutou feio o sistema e hoje ganha a telinha e é apanhado por ela...
O discurso cheio de "democracia racial, social, cultural e econômica" que preenche o clipe, a letra e tudo o mais, do nosso rapper, não cabe. Ainda não cabe fazer festa enquanto nosso povo continua sendo sistematicamente exterminado.
Aquela festinha cheia de gente branca parece ofensivo até... alienado demais pra quem já foi no Domingão do Faustão e deixou ele em  choque ao cantar contra a patrocinadora do nosso genocídio
Embora eu pense que ele estivesse perdendo seu tempo, que ele nem deveria estar ali na TV,  esse vídeo sim, vou compartilhar... Só pra quem não viu ainda sentir a diferença  do discurso...
Sei lá... vai ver que a vida do Bill melhorou tanto que ele virou branco... sociologicamente branco..
E então o povo dele deixou de ser vítima de genocídio... Será?

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. To lendo ai o blog doceis, muito bacana em alguns pontos mas acho que voces tão dando uma vacilada no que diz respeito ai com o Bill especificamente.
    Houve um pequeno exagero que foi feito (na minha concepção) no que diz respeito do clipe/letra que é, acima de "assegurador de democracia racial, social, cultural e econômica", vazio. Falar que "o cara virou branco" e o caralho a quatro por isso é extremamente sem noção, mesmo tendo em vista o momento chave que o Hip Hop vive no Brasil.
    Tirando isso eu acho que é de se repensar a postura que diz que neste movimento cultural não há espaço para outra coisa que não a música de protesto que tanto me agrada. A periferia já é em sua prorpia concepção sufocada, culturalmente inclusive, de todas as formas. A arte e ai o Hip Hop tem a função de ser uma valvula de escape sim e não é cábivel dizer que só pode se expressar em um meio opressor se seguir uma diferente opressão interna que te dita o que é expressável. É nessa linha que à mim o Funk ostentação, por exemplo, é sim uma expressão cultural válida.
    Outro é o fato de que "ele nem deveria estar na TV". Eu discordo disso (não justificando a forma na qual ele se apresenta lá) Mas o meio do opressor ainda é sim a mais vista e de maior circulação e quem vê isso é a periferia. Acho que é o do caralho formas alternativas de midia mas se apropriar dos meios opressores o quanto possivel é excelente também.
    Ficou confuso provavelmente e talvez um pouco além do que o post se propos, mas tá ai.

    De mais bom trabalho no blog ai. Pretendo ler mais :)

    ResponderExcluir
  3. Oi,Aquiles, obrigado pelo seu comentário.
    Na verdade, perguntar se ele virou branco é uma provocação... vc deve saber (pelo seu discurso, nós deduzimos que sim) que um negro/negra em posição de poder costuma se tornar brancos (sociologicamente falando), pois tendem a reproduzir todas as posturas dos opressores/as e ignorar o sofrimento do seu próprio povo.
    Sabemos que o Bill não virou branco ainda.... mas precisa tomar cuidado - como muitos de nós precisamos vigiar - pra não reproduzirmos a enganação a qual somos submetidos e submetidas diariamente nesse sistema.

    ResponderExcluir